domingo, 13 de abril de 2008

VETADO PROJETO DE JORNADA DE TRABALHO


Cabral veta projeto de lei sobre jornada fixa para pm e bombeiroGovernador afirma que proposta caberia a ele. Deputado acredita em divisão de autoria O governador Sérgio Cabral vetou, ontem, o projeto que garante jornada de trabalho de 40 horas semanais para policiais militares e bombeiros, além do pagamento de horas extras. O veto ainda pode ser derrubado pelos deputados. No Diário Oficial de ontem, Cabral justificou a recusa ao projeto com o argumento de que o assunto não poderia ser proposto na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ). "Os servidores contemplados pela iniciativa são regidos pelas leis que aprovaram seus estatutos (>>>) se fosse o caso de se alterar as normas estatutárias e remuneratórias de Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, isto de penderia de iniciativa reservada, de forma privativa, à Chefia do Poder Executivo", explicou o governador no despacho. O Deputado Paulo Ramos (PDT), autor do projeto, afirmou que o governador poderia ter sancionado o projeto e assumido a autoria dos benefícios às duas categorias: - O governador demonstrou que não tem sensibilidade a um assunto de importância para os policiais militares e os bombeiros. Se ele quisesse, poderia ter sancionado e dividido a autoria com os deputados. Ramos disse ainda que tentará convencer os deputados a derrubar o veto, para que Cabral leve o tema à discussão na justiça. Fonte: Jornal Extra. Como podemos ver na matéria, nosso nobre governador está pouco se importando com a situação de penúria em que encontram os PPMM e bombeiros do RJ. Além de não mover um único dedo para minorar os problemas das classes, ainda atrapalha, por pura vaidade (afinal não foi ele o pai da criança). Como já disse inúmeras vezes, é muito cômodo para ele continuar do alto do seu pedestal olhando para baixo e brincando com as nossas vidas! Esse senhor por acaso sabe que Policial e bombeiro também tem família? Será que ele desconfia que temos que morar, nos vestir, instruir, pagar impostos, etc, etc, etc? Quem orientou a esse moço que existe em todo o mundo segurança boa e barata? Com sinceridade acho que está na hora das classes realmente se unirem, esquecerem as picuinhas, e partirem para a batalha real! Passeatas na orla não mexem nem um pouco com os sentimentos do governador e de seus assessores. As reivindicações precisam partir para algo mais efetivo. As praças precisam do apoio e do respaldo de seus superiores para chacoalhar de vez os ombros e os brios desses que pouco se importam conosco. Mais do que nunca é preciso levar à sério o jargão: "Juntos somos fortes", porque, realmente juntos somos fortes, mas temos que estar juntos e fazer a população enxergar que sem polícia e sem bombeiro não há sociedade que sobreviva! Sr. Governador, chega de vaidade, pare de olhar seu próprio umbigo e enxergue que existem seres humanos por baixo das fardas e que por trás desses seres humanos existem ainda outros seres humanos que deles dependem!!!!!!!!!O B S:Matéria retirada do blog " Esposa de Praça da PM"

A atitude do governador já era de se esperar, e o que o parlamentar fez, foi jogar para a platéia, pois ele sabia que o governo jamais iria concordar em sancionar uma lei, com o vício de iniciativa, sem que o projeto fosse de autoria do Poder Executivo. É preciso ficar atento, devemos ter cuidado com medidas eleitoreiras uma vez que o processo eleitoral está se aproximando. Qualquer projeto de lei que tratar de matéria de despesa para o Estado ou política de pessoal, é de exclusividade do Poder Executivo.

5 comentários:

Anônimo disse...

É de se lamentar, o governo continua desconsiderando a nossa classe e usando as armas que dispõe e os políticos, como sempre tentam nos enganar, com projetos eleitoreiros, que sabem que serão vetados pelos governantes.

Anônimo disse...

UM DIA, ESSE REGIME DE ESCRAVIDÃO IRÁ ACABAR E NÓS, IREMOS ALCANÇAR A NOSSA LIBERDADE PLENA, COMO PROFISSIONAL E COMO CIDADÃO. VEJO QUE ESTE DIA ESTÁ BEM PRÓXIMO.

Anônimo disse...

Qual o real objetivo de tudo isso? Devemos nos empenhar par quebra o veto? Quebrar o veto para que? O governador terá 100% de chance de derrubar a Lei, na Justiça. E o vício de iniciativa é brincadeira? Não devemos cair nessa política eleitoreira, que não nos levará há lugar algum. É um crime enganar os nossos companheiros menos esclarecidos no assunto. Porque não dizer claramente que os culpados de tudo isso não são os atuais governantes e nem os políticos, e sim os nossos coronéis que sempre foram omissos, pensaram e agiram para impedir os nossos avanços. Agora que estão desprestigiados, vão afundar no barco dos desesperados conosco.

Anônimo disse...

Com essa mentalidade de nossos Oficiais, quando perdem o poder vem a público pedir para a tropa fazer passeata para revindicar aumentos salariais que deve acabar.
A tropa de recursar se fazer de marionete e repudiar essas atitude.
Estamos ganhando mal, por culta exclusivo dos nossos oficiais que em tropa de manter a tropa nas ruas, ganharam varias gratificação porquanta de nossa miséria.
A hora que o Comando geral e outros oficiais da culpula, sairenm dos pedestrais, exigir do governo estadual um salário justo, não vai ter nenhum governador que não dará um salário justo nossa gloriosa PMERJ.

soldadopi disse...

sou solidario aos PMS do RIO. no Piaui vivemos situação parecida. AMIGOS TEMOS que aproveitar essa época de campanha POLITICA. VAMOS começar a discutir SEGURANÇA PUBLICA com a sociedade.