quinta-feira, 29 de maio de 2008

Álvaro Lins é preso e Garotinho indiciado


Ex-chefe da Polícia Civil Álvaro Lins é preso pela Polícia Federal. Garotinho é denunciado

Publicada em 29/05/2008 às 10h09m

Ana Claudia Costa, Taís Mendes e Aloysio Balbi - O Globo e Fábio Gusmão - Extra

Operação da Polícia Federal no apartamento do deputado estadual Álvaro Lins, preso em flagrante por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha armada, corrupção passiva e facilitação ao contrabando / Foto: Celso Meira - O Globo

RIO e CAMPOS - A operação Segurança Pública S/A, desencadeada nesta quinta-feira pela Polícia Federal, prendeu em flagrante o deputado estadual Álvaro Lins, ex-chefe da Polícia Civil do Rio. Lins foi preso em casa, em Copacabana. Ele é acusado de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha armada, corrupção passiva e facilitação ao contrabando. O ex-governador Garotinho foi denunciado pelo crime de formação de quadrilha armada (deputado também é suspeito de outros crimes. Relembre aqui ).

Agentes da PF cumpriram mandados de busca e apreensão na casa do ex-governador Anthony Garotinho, em Campos, no bairro da Lapa e em Laranjeiras, no Rio. Os policiais deixaram a residência em Campos levando um laptop que estaria no escritório de Garotinho. Em entrevista a uma rádio de Campos, na manhã desta quinta, o ex-governador se disse surpreso com a operação e que não tem o que temer.

Lins foi levado para a sede da PF, no Centro do Rio. Segundo seu advogado, Harrina Araújo, o deputado estava tranqüilo porque sabe da sua inocência. O advogado disse que não tem detalhes ainda sobre o mandado de prisão e que a polícia apreendeu na casa de seu cliente documentos e celular.

A Polícia Federal também conseguiu na Justiça mandado de prisão para o ex-chefe de Polícia Civil Ricardo Hallak. Os agentes também estão na rua para prender Hélio Machado da Conceição, o Helinho, que foi solto na semana passada. O inspetor havia sido preso na Operação Gladiador, em 2006. A Justiça também decretou a prisão dos inspetores Fábio de Menezes Leão, o Fabinho, e Jorge Luís Fernandes, o Jorginho, que integravam o grupo dos "inhos". Eles já estavam presos no presídio Bangu 8.

Deputado Álvaro Lins / Foto: Hipólito Pereira - O Globo

Alcides Campos Sodré, policial civil ligado a Álvaro Lins e ex-assessor do ex-chefe de Polícia Civil, Ricardo Hallack, foi preso em casa, no Condomínio Vivendas Bandeirantes na Estrada Miguel Ferreira, 178, na Taquara. Equipes da polícia federal estão também na casa de um policial ex-assessor de Lins, no Recreio dos Bandeirantes.

A operação se destina a cumprir sete mandados de prisão preventiva e 16 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região. Um dos objetivos da operação é apreender documentos ligados à lavagem de dinheiro.

3 comentários:

Anônimo disse...

Podemos dar os nossos parabéns aos policiais federais que participaram dessa operação. Esperamos que em um futuro bem breve,estejamos vendo pela imprensa alguns oficiais da PM sendo presos, em outra operação desencadeada pelos federais. Com a prisão desses elementos, a sociedade verá que quando eles culpam o nosso praça por tudo, é para encobrir as suas próprias falcatruas. Observemos que o Álvaro Lins, quando era Oficial PM da ativa, também fora processado por envolvimento com contravenção.
Agora, é só sentar e aguardar. A nossa sociedade constatará que realmente "Existe algo de podre no Reino da Dinamarca"

Mônica disse...

Deveria fazer alguma propaganda desse blog, só fiquei sabendo por acaso. Vou colocar seu logotipo no Praças da PMERJ, abraço.

soldadopi disse...

só tenho a PARABENS aos Policiais Federais. Olha PF se der pra investigar a PM seria uma boa.....